Os 10 piores erros de arbitragem em copas do mundo

Compartilhe!

Os 10 piores erros de arbitragem em copas do mundo



Os árbitros de Copa do Mundo têm um trabalho difícil a ser realizado, em meio a circunstâncias muito duras. Quando eles fazem uma bom trabalho, ninguém os nota. No entanto, quando eles tomam uma decisão incorreta, a qual afete o resultado do jogo, ela será lembrada para sempre, especialmente pelos torcedores do país que perdeu. A seguir, apresentamos nossa seleção das 10 piores decisões tomadas por árbitros durante Copas do Mundo anteriores. Todos nós esperamos que a Copa do Mundo de 2014 seja lembrada pelo excelente futebol e não por momentos controversos.

Inglaterra x Argentina, 1986

Um dos incidentes mais infames na história da Copa do Mundo. A Inglaterra estava conseguindo manter o controle da situação nas quartas de final na Cidade do México quando, na disputa aérea de Diego Maradona contra Peter Shilton, a lenda Argentina marcou um gol dando uma palmada na bola. Apesar dos protestos furiosos da defesa inglesa, o gol feito pela “mão de Deus” foi considerado válido.

Inglaterra x Alemanha Ocidental, 1966

Provavelmente o gol mais controverso de todas as Copas do Mundo. Com a final empatada em 2 a 2 em Wembley, Geoff Hurst chutou a bola na parte de baixo do travessão, a qual quicou no chão, aparentemente sobre a linha e foi para fora. A Inglaterra comemorou e, após consulta com o bandeirinha do Azerbaidjão, Tofik Bakhramov, o árbitro validou o gol. Avaliações criteriosas posteriores sugeriram que a bola provavelmente não tenha cruzado a linha, mas a controvérsia persiste até hoje.

Croácia x Austrália, 2006

Josip Simuic da Croácia recebeu três cartões amarelos. Até que, finalmente, recebeu o cartão vermelho do árbitro inglês Graham Poll. Isso em um jogo crucial da fase de grupos. Já tendo sido advertido, o defensor recebeu um segundo cartão amarelo aos 90 minutos após uma falta, mas não foi expulso por Poll. Simunic então empurrou Poll após o apito final e recebeu outro cartão amarelo, até que o juiz, finalmente, mostrou o cartão vermelho.



Alemanha Ocidental x França, 1982

O goleiro Harald Schumacher garantiu de infâmia na Copa do Mundo com uma das provocações mais cruéis jamais vistas. Com a semifinal empatada em 1 a 1, Patrick Battiston estava pronto para marcar mas Schumacher saiu com tudo da área e se jogou para cima do francês. Battiston, com a mandíbula quebrada, deixou o campo em uma maca e nem sequer uma falta foi marcada contra Schumacher, o qual acabou virando herói na decisão por pênaltis.

Brasil x Suécia, 1978

O juiz Clive Thomas do País de Gales causou tumulto quando deu o apito final entre uma cobrança de escanteio e o gol marcado de cabeça do brasileiro Zico, fazendo com que a partida terminasse em 1 a 1.

Coreia do Sul x Itália, 2002

Todas as atenções estavam voltadas para o árbitro equatoriano Byron Moreno após a partida, em meio a reclamações de que ele havia sido influenciado pelo veemente apoio à equipe da casa. Após conceder um pênalti discutível aos quatro minutos para a Coreia, o qual foi defendido, ele expulsou Francesco Totti depois de lhe dar o segundo cartão amarelo por simulação de falta, apesar de o armador italiano aparentemente ter sofrido uma rasteira. Damiano Tomassi teve um gol determinante anulado e os anfitriões conseguiram a vitória no final.

Coreia do Sul x Espanha, 2002

Mais uma vez os co-anfitriões se beneficiaram da sorte grande depois que a Espanha teve dois gols anulados e os coreanos venceram nas quartas de final nos pênaltis. Logo no início do segundo tempo, o jovem Kim Tae parecia ter feito um gol contra ao interceptar um tiro livre espanhol, cancelado pela marcação de um “impedimento” de Fernando Morientes. A seguir, no segundo minuto da prorrogação, o gol de cabeça de Morientes foi anulado quando o bandeirinha erroneamente considerou que a bola chutada por Joaquim havia cruzado a linha de fundo.

Argentina x França, 1930

A França perdia de 1 a 0 para os oponentes sul-americanos, mas a partida no Uruguai teve um final controverso quando o juiz, de alguma forma, antecipou o final da partida em seis minutos, em relação ao tempo regulamentar. Após intensos protestos dos franceses, ele chamou os jogadores de volta para o campo a fim de concluir a partida, mas alguns já estavam no banho.

Argentina x México, 2010

Carlos Tevez não apenas estava impedido quando abriu o placar que culminou na vitória de 3 a 1 contra o México, mas era o jogador mais próximo do gol quando recebeu a bola.. O atacante depois chegou a admitir que sabia que o gol não deveria ter sido considerado válido. Ele afirmou: “Eu sei que eu estava impedido e sei que foi egoísmo, mas uma vez que eles consideraram o gol válido, eu e minha equipe aceitamos”.



Compartilhe!

Tags:

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *